1.11.06

Um dia de sol
na baía de Guanabara
basta

Flanar
com um livro no colo
sobre as águas milenares
basta

Olhar
para a fêmea de ombros
de alabastro
que olha para
a baía de Guanabara
basta

Receber
o afago do vento
e deixá-lo levar
os problemas em casa
basta

Ser um
com a paisagem
basta

para saber que existe um Coreógrafo cósmico.

2 comentários:

Naeno disse...

Oi André,

Eu tive lendo alguns dos teus poemas e pude constatar a tua verve poética. Vá fundo meu irmão.
Uma pequena observação você não colocou no seu profile que é poeta.

Um abraço,

Vem visitar o meu blog e dá a tua opinião sincera sobre o que faço.

NAENO

Denise Sollami disse...

muito bom!
adoro poemas assim, com palavras poucas e sentidos muitos.